newsletter 8-2013

Queridos Amigos da ESG,

que era mesmo muito bruto: No longo fim de semana foi muito muitos filmes na TV – e muitos deles eram muito brutal. Mesmo quando zapping através vimos um monte de sangue e Fatalities. Aparentemente, as pessoas processo em arte e entretenimento (para não mencionar a notícia de tudo), que vivemos em um mundo, em que há bastante mal. Mas quando tudo é dito em nossa religião, que o homem é um pecador inclinado para o mal, imediatamente quebra uma tempestade de merda de indignação. Vários jornalistas e outras pessoas, que leram o Catecismo de Heidelberg, por ocasião do seu aniversário pela primeira vez, herumgemault para mim, mas algo que já não podia dizer – hoje!

Ó! Pensei. Em primeiro lugar, seria preciso, mas uma vez livre da ideologia analisar o presente e em segundo lugar, leia a soletração pobre Catecismo até o fim e, se possível, até mesmo algumas vezes por Ah para Zett. Próxima quarta-feira eu vou tentar mostrar, que você simplesmente não pode deixar de pensar em uma perspectiva realista sobre as pessoas então o homem reformatorischerseits muito otimistas, só então, se você não deixar Deus fora do jogo. “Homo heidelbergensis” – Eu não quero dizer que os ossos, foram encontrados há muito tempo na parede, mas a imagem do homem, wie es im Heidelberger Katechismus enthalten ist. Darüber dann mehr am Mittwoch ab 20.15 Relógio na Casa de Karl Jaspers, Plöck sessenta e seis.

Depois de um serviço de Pentecostes muito bem atendido agora estou ansioso para o serviço com três batismos e pregando por Gerd Theissen, no domingo, na Igreja de São Pedro. E como parte do fim de semana e as amostras Choir temperado vai cantar na igreja.

Acolhe cumprimenta Hans-Georg Ulrichs.